[Resenha] Rampage: Destruição total

E ai galera, beleza?

Hoje vamos “resenhar” sobre RAMPAGE: Destruição total e sua chegada às telas, com uma
proposta um tanto quanto distante da ideia original, presente no game.
Se você gosta de um bom filme de ação, com cenas de explosões, demolições e monstros
gigantes ao bom estilo Godzilla e Transformers, então esse é o filme que você precisa ver!

SINOPSE

Davis Okoye é um primatologista (Dwayne Johnson), um homem recluso que
compartilha um vínculo inabalável com George, um gorila muito inteligente que está sob seus
cuidados desde o nascimento. Quando um experimento genético desonesto é feito em um
grupo de predadores que inclui o primata, os animais se transformam em monstros que
destroem tudo em seu caminho. Agora Okoye tenta conseguir um antídoto e impedir que seu
amigo provoque uma catástrofe global.

Primeira impressão

O diretor Brad Payton não precisou inventar muito, focou no básico e evitou ao máximo os
cortes de cena. Produzindo assim, um agradável filme de ação com explosões gigantescas para
todos os gostos. Outro ponto forte da produção foi à facilidade em acompanhar as cenas de
luta e a beleza dos efeitos especiais presentes ali.
No início o mistério e o suspense chegam a prender totalmente a atenção, entretanto, a
exposição enorme do ator principal logo tira esse sentimento. Fazendo-nos desejar explosões
e mais explosões.

Adaptação do Game

O filme explora bem o surgimento do patógeno mutante, bem como o motivo da fúria dos
monstros mutantes. Contudo deixa a desejar em fatores chaves para jogadores old school do
game: Os monstros não são antropomórficos.

Uma falha que pode parecer pequena, mas dita toda a direção do filme, foi a “humanização”
de um dos monstros, que muda completamente, se compararmos com o final do jogo. Dessa
forma, acabam transformando uma obra gamer em um filme de sessão da tarde, com muita
ação, o que de toda forma não é ruim, pecando apenas no excesso de protagonismo do The
Rock.

Os Atores

Sobre os atores, não temos muito a comentar. Afinal, fizeram apenas o básico, sem muitas
cenas para se destacarem. Pode-se dizer que 80% das cenas são monstros destruindo tudo o
que vêem pela frente, explosões e The Rock forçando piadas através do seu forte carisma.
A atuação em si não foi ruim, contudo a ideia de transformar o Daywne em quase um
Semideus, acaba deixando o filme um pouco preguiçoso. Afinal em briga de monstros gigantes,
como um ser humano poderia sobreviver sem quase nenhum arranhão?

A trilha sonora

Outro ponto que deixou a desejar no filme, grosso modo, foi à inexistência de uma trilha
sonora, nos restando apenas temas de ação nos momentos de luta para inspirar o
protagonismo do The Rock.
Para amantes da série Rampage, faltou àquela típica trilha sonora que mistura ação e thriller,
deixando os jogos de gráficos simples, extremamente viciantes.

Conclusão

Como falado antes, se você quer ver Transformers Mutantes Orgânicos no bom e velho estilo
Godzilla de destruir tudo, então esse é certamente um filme que vai te prender. Agora, se você
gosta de um filme bem escrito ou dirigido, vocês podem até curtir, mas saibam que vai ser a
mesma experiência de ver um filme na sessão da tarde com os amigos.

 

Conheça o Canal do Gordo

Nele você encontra videos diarios de series, games e filmes

 
Gustavo_Kkx

Gustavo_Kkx

GUSTAVO PESSOA Um cara fora do lugar comum. Curte games, HQ, Mangás, Animes, Series e Rock. Mas também não deixa de lado um bom livro, Sertanejo, estudos e programar. Atualmente, Cosplayer, Conselheiro no chalé de Hefesto do ESBH, membro da Sonserina no BruxosBH e aficionado por aprender línguas orientais e viagens.