Crítica – Circulo de Fogo: A Revolta

Olá! Hoje vamos falar da continuação de um filme muito legal! Trailer?

Um retorno glorioso dos grandes gigantes de aço e claro dos grandes monstros, mas dessa vez trazendo um dos maiores amantes de monstros  Guillermo del Toro, tudo bem que ele ficou apenas na produção mas sabemos do seu carinho com monstros A Forma da Água quem o diga não e mesmo? Porem é inevitável uma comparação com a franquia de Transformers claro que sem os monstros.

Na historia temos Jake um promissor piloto de Jaeger, filho do famoso Stacker Pentecost, mas abandonou tudo para entrar no mundo do crime e roubo de peças de Jaeger. Um dia ele é quase pego e na correria conhece Amara, uma adolescente que construiu seu próprio mini Jaeger. Mas os dois são pegos e para não serem presos aceitam trabalhar na academia de pilotos do governo. E para melhorar as coisas a fenda de onde saiam os monstros reabre e eles tem que enfrentar tudo de novo.

Podemos dizer que esse filme um clássico filme de ação. Tem cenas de luta de robôs com robôs, robôs com monstros.. É meio difícil discutir aqui a filmagem por que em sua grande parte computação gráfica que está bem trabalhada e consegue transmitir a seção de “realismo”, onde as lutas ficaram bem feitas. Agradando de certo modo já que eu não sou lá muito fã de filmes nesse estilo.

Quando falei da comparação com Transforme não é atoa logo de inicio não temos os famosos kaijus então temos uma batalha de Jaeger contra Jaeger nos fazendo lembrar muito dos filmes da franquia de onde Michael Bay tem o comando. Porem podemos ressaltar que em relação a parte gráfica nos temos um excelente trabalho mas infelizmente os embates em diversos momentos nos proporciona um pouco de tédio.

O filme está cheio de personagens legais, e se não estou enganada a unica personagem do ultimo filme e Mako Mori (Rinko Kikuchi) mas apesar disso é uma ótima continuação do anterior, mesmo depois de tanto tempo e com outro diretor. O destaque pra mim nessa sequência está nas personagens femininas. Embora Amara tenha sido meio jogada pra dentro do universo Pacific Rim, a personagem é muito legal. Ela é divertida, forte e muito bem construída. A história de vida dela é muito legal e dá aquele toque de emoção a mais pro filme. Fora ela, todos os outros personagens também são bem legais. O Jake é muito interessante, ver ele crescendo ao longo do filme nos mostra claramente a ideia do dilema do herói.

O roteiro é bem classicão, então já aviso que não temos nada de extraordinário. Mas é aquela coisa: Quando você vai ver um filme de ação não espera mesmo nada muito complexo. Desde que não fique sem noção e faça sentido tá tudo certo. E aí nesse sentido o filme cumpre bem seu papel.

A parte que me incomodou na coisa toda foi a trilha sonora. Ela é muito genérica e ao mesmo tempo muito forte. Na tentativa – acho – de tentar se equiparar ao barulho que as lutas geravam eles tentaram fazer algo forte, mas que ficou genérico e sem personalidade. Se a gente para pra pensar que o primeiro filme teve músicas marcantes que até hoje ouvimos e sabemos de onde veio, essa sequência deixou muito a desejar.

Infelizmente, o novo Circulo de Fogo é um desses filmes que, apesar de legal, é altamente esquecível e se perderá no volume de filmes de ação mas isso e claro se você gosta de ação com certeza você vai adorar o filme, e vai se divertir pois ele cumpre seu papel.

E ai assistiu Circulo de Fogo: A Revolta? O que achou comenta ai!!!

Confira
 

Conheça o Canal do Gordo

Nele você encontra videos diarios de series, games e filmes